Sem Palavras: 24 jan 2010 - 2h16

terça-feira, janeiro 24, 2012



23:10     Brisa: ei, minha linda!
23:11     eu: oi
                Brisa: saudade imensa. sentindo muito sua falta
                eu: também...
                (...)
23:19     eu: tenho te visto mais emocional do que antes. não sei se é o acesso privilegiado, mas pra mim a grande surpresa foi sua reação ao assistir a Marília Pera. eu não esperava...
23:20     eu choro muito, marejo os olhos sempre... foi assim comigo qdo assisti a Marília*. mas não esperava te tocar daquela forma qdo quis te mostrar
23:21     Brisa: eh
                muito tudo aquela interpretação dela
23:22     não eh um estado especial que me fez sentir o que eu senti
                eu: aquilo é demais mesmo, over...
                Brisa: mexeria comigo em qualquer circunstância
23:24     minha relação com a música
                e sempre,
23:25     o talento, superação, a entrega
                mexeram muitíssimo com meu coração e mente
23:26  vc sabe
                meu medo infantil de não ver isso nunca
                eu: não gosto tanto de vc à toa
                Brisa: então
23:27     medo de que não houvesse mais coisas lindas e novas
                que as pessoas chegassem a um limite
23:28     isso me fez sofrer muito
                mas também acho que me fez desejar tanto
23:29     que ser humano fosse mais encantado
                menos humano
23:30     menos suscetível ao limite
                eu: vc conhece seus limites?
23:31     Brisa: nunca pensei sobre isso
                não sei se quero pensar
                quero continuar vendo assim
23:32     Marílias encantadas
                e soh sentir
                eu: tem um lado lúdico em você que é bem interessante, surpreendente
23:33     Brisa: rs
                fala pra mim
                eu: isso é o que eu chamo de “seu jeitinho”
                Brisa: rs
23:34     fale sete “jeitinhos”
                eu: hehehe
                1) sua brincadeira “lele” com a Vanessa;
                2) toda vez que vc diz “então”;
23:36     3) aquela sua mão na nuca das pessoas, qdo abraça com “simpatia”;
23:37     4) o sorriso canino;
23:38     5) seus beijinhos maciinhos pelo meu corpo (sem dúvida);
23:39     6) alguns de seus exemplos muito fora do contexto (geniais! rsrs);
23:40     7) qdo me conta histórias de família e da sua cachorra;
23:42     Brisa: Neguinha de neve, pura vc
23:43     obrigada por me apresentar Marília encantada
                por me cortar tomates
23:44     por colocar a flor no banheiro na primeira noite em que me apresentou sua cama
23:45     por me apresentar Sophie Calle
                por me ensinar com carinho
23:46     por se permitir
                por se entregar com ternura
23:47     por ocupar minha alma
                por conhecer meu choro
                por querer me mostrar o mundo
23:48     por acreditar, com generosidade, em tudo que sabe poder passar dos meus limites
23:49     por me beijar com entrega
                por sentir tanto prazer em me dar prazer
23:50     por ter cuidado do cajuzinho
                por ter comprado tomates-caqui
                por ter me convidado para estrear as taças
23:51     por gelar a cerveja
23:52     por me fazer querer que as calcinhas não existissem
                eu: rsrs
23:53     Brisa: por ter lençóis que amarrotam tanto
                por deixar que a cabeceira fique nos pés
23:54     eu: tão bom saber que vc está atenta a tudo isso... rs
                Brisa: por me trazer a Marquesa de Rabicó de volta
23:55     eu: sempre quis ter alguém que valorizasse esse meu jeito de fazer carinho
                Brisa: por me deixar tirar sua roupa como quem quer ser “batizado”
23:56     por pegar na minha mão como se fosse me levar para um voo de libélula
23:57     por não saber o que é egoísmo
                por compartilhar como quem doa
                por ter tanto talento
23:58     eu: espere, quero saber o que vc pensa sobre esse lance de egoísmo que vc disse...
                Brisa: rsrs
                você hein!
23:59     sempre querendo fazer análise comigo, neh?
                eu: desculpe, não é intenção não... aliás, fazer análise com os outros deve ser algo chatíssimo
00:00     e vc é tão perspicaz... confio em vc
                Brisa: por confiar em mim
                por querer me mostrar pro mundo
00:01     por combinar sua pele com a minha
00:02     por ter me levado pro lavabo no dia que só tínhamos a sala
00:03     eu: é curioso, vc me faz apostar na minha intuição. vc faz isso comigo!!
                vc mexe demais comigo, Brisa
                me tira do lugar
00:04     Brisa: entrega absoluta, Neguinha
00:06     é possível falar de mais dezenas de coisas quando vc demonstra o poder de sua intuição
00:07     eu: eu diria que vc provoca o que tem de melhor em mim
                Brisa: ...por me permitir acesso ao que tem de melhor em você
                e em progresso...
00:08     Neguinha
                ainda há pouco saquei aquele lance do advérbio de lugar
                sabe?
                eu: é?!
00:09     Brisa: é!
                eu: sua preocupação com outros assuntos era tão paralisante que não tive certeza se vc estava me ouvindo
                Brisa: eh. tava punk
00:10     não queria deixar transparecer pra vc que o lance era grave demais
                então
                sobre o advérbio
                eu: rsrs
                Brisa: veja se é isso
00:11     quando fui escrever: é possível falar de mais dezenas de coisas quando vc demonstra o poder de sua intuição
                então
00:12     eu ia escrever: é possível falar de mais dezenas de coisas ONDE vc demonstra o poder de sua intuição
                eh isso??
                eh disso que vc falava??
                o que tah correto?
                ou não tem nada a ver?
00:13     eu: eu te amo, menina!!
                Brisa: rsrsrsrs
                Então eh????
                eu: segunda opção é muito incorreta
                Brisa: urruuuu
                então eu saquei mesmo!!!!!!
00:14     linda demais vc!!!!!
                linda mesmo
                grata pela disposição em me ensinar, sempre
00:15     te amo demais, menina!!
                eu: rs
00:16     Brisa: casa?
                eu: rs
                claro
00:18     Brisa: L.
00:19     rs - quer dizer: riso sem muita graça ou sorriso de canto de boca
                eu: ahahahhahhah
00:20     sempre achei que rs = sorriso
                Brisa: eu também
00:21     mas, às vezes tenho dúvidas quando estamos chateando
                eu: Vanessa deitada aqui do lado acaba de me dizer: “Ai mãe... essa vida é boa”
                Brisa: kkkkkkkkkkkkkk
00:22     sábios estes alfenins, né?
                eu: meu rs é sempre sorriso
                hehehe é risadinha sacana
                e hahahhahaha é risada descontrolada (aquela minha mesmo)
00:25     Brisa: seu sorriso eh encantado e sua risada descontrolada, além de descontrolada, eh magnética
                ah!
                por falar em magnética...
                posso te mandar um pedacinho do texto que fiz sobre o “descartável”?
00:26     eu: claro, por favor
                Brisa: eh soh um pedacinho
                pq quero enviar pro seu e-mail depois de acabado
                eu: combinado
                Brisa: então vou enviar por aqui mesmo (o pedaço)
00:27     eu: ok
                Brisa: Um duo uno. Pelo chão vermelho, encarnado, pisavam em fogo. Quase loucas, tocavam com as pontinhas dos pés lavas de vulcão. À revelia do que a terra, a carne e o fogo magnetizavam, era no vento que brincavam. Nem correndo, nem parando. Era voando que se entregavam. Sem cerimônia nem ensaio: encontro, encanto, acontecimento. Eram duas. Eram uma, tamanha sincronia, tamanha simplicidade! Meu Deus vem olhar... a evolução da liberdade. Simples flutuar.
                (...)
01:11     eu: então me diga...
01:12     sobre o lance do egoísmo
                Brisa: posso te dizer
                preferia que fosse pessoalmente
                com vc deitada no meu colo
                eu: não quero colher elogios, só quero saber o que vc pensa
01:13     Brisa: eu sei disso
01:14     afinal, eh assim entre a gente neh
                tudo tão simples e direto
                tão sincero e calmo
01:15     uma descoberta pela outra
                uma confirmando a outra
                uma e a outra
                uma na outra
                quanto à parada do egoísmo
01:17     eu sempre fico pensado do bem que eh compartilhar o que há de melhor com os outros
01:18     independente se eles vão achar o máximo, ou se vão pelo menos prestar atenção
01:19     coisa que me emociona sempre
                tipo assim:
                Marília foi encantada
01:22     Brisa: se entregou tão inteiramente ao que fez e, tendo tanta consciência do quanto era maravilhoso aquilo, não pareceu querer fazê-lo para que achassem o máximo, mas simplesmente para que fosse acessível, que se pudesse tocar
                a sabedoria que raramente acompanha o talento
01:24     fez por todos nós
                eu: certo
                Brisa: me senti presenteada
                e, por isso, pareceu bastar
01:25     não precisava ser aplaudida, ou elogiada, ou premiada, ou qualquer outra coisa
01:26     eu: entendo
                Brisa: então ela se entregou “pro outro”
01:27     para o que não era pra ela (como posse)
                não existiu egoísmo
                vc eh assim
01:28     com todo seu talento
01:30     eu: grata pela explicação
                esse assunto me interessa no momento
01:31     ouvi por muitos anos que eu era uma pessoa egoísta e nunca acreditei, achava que era um engano tudo aquilo, mas também poderia ser só mecanismo de defesa
                (e isso é algo muito íntimo e pessoal)
01:32     Brisa: nunca, nunca mesmo vi um traço de egoísmo em vc
                queria te falar mais sobre isso
                pessoalmente
                com vc deitada no meu colo
01:33     eu: rs
                Brisa: mas, só pra fechar, queria deixar claro que, no caso da Marília, eu me referi àquela interpretação
01:34     eu: eu entendi isso
                vc está esbanjando crase, meu bem
01:35     bonitinha demais
                Brisa: quanto a você, isto está presente o tempo todo
                pelo menos de onde eu olho
01:36     (não há crase... rsrsrsrsrsrs)
                eu: rsrsrsrs
01:37     obrigada. saber disso é importante pra mim
                eu sou o que sou, Brisa
                não há nada fake ali
01:39     e nesse meu movimento de autoconhecimento, este é o assunto que estou tratando
                autoestima X egoísmo
01:40     essa relação é meio confusa na minha cabeça: egoísmo X autoestima
                só pra justificar o interesse, ok linda... sem interesse em fazer análise
                Brisa: tênue, um fio de água
                autoestima X egoísmo
01:41     eu: pois eh... e pirei com o filme da Björk
                sei que vc assistiu
                Brisa: qual?
                Dançando no escuro?
                eu: sim
                Brisa: caraca!!!!
01:42     eu: chorei feito uma condenada sozinha no cinema, numa terça-feira... os outros que estavam na sessão foram embora antes do fim
                Brisa: eu fiquei mexidíssima
                chorei demais também
                desabei
01:43     choro muito com cinema
01:44     eu: a borda que divide o egoísmo do altruísmo quase se rompeu ali
                Brisa: vamos ver (de novo) juntinhas também?
01:45     eu: uau, proposta punk... mas eu quero tudo com vc. e topo sim.
01:46     Brisa: quero tudo com vc também
                eu: outro dia ouvi uma música do Lulu Santos e me lembrei de vc:
01:47     Brisa: eh mesmo?!
                eu: “ela me faz tão bem, ela me faz tão bem... que eu também quero fazer isso por ela...”
                a música fez sentido pra mim pela primeira vez
                Brisa: putz, linda
                eh isso mesmo!
01:48     sabe que isso tem acontecido com alguma frequência comigo também
01:49     esse lance de coisas (velhas conhecidas) fazerem sentido agora (depois da gente ter se descoberto)
01:50     eu: e a música diz mais sobre mim e sobre você:
                Ela demonstrou tanto prazer
                De estar em minha companhia
                Eu experimentei uma sensação
                Que até então não conhecia
                De se querer bem
                De se querer quem se tem...
                Brisa: ptz!
                Neguinha
                demais neh!!!!!
01:51     eu: vamos casar mesmo?
                Brisa: vamos!!!!!
                eu: hehehehe
01:52     vc é esse tipo de bem pra mim... que me faz tão Bem. já tinha percebido que te chamo de meu bem por isso?
                Brisa: rs
01:53     percebi isso na noite napolitana, entre a pizzaria e sua casa
01:54     vc disse com simplicidade estonteante: “gosto que vc me chame assim, meu bem”
                eu: como foi? eu te disse?
                Brisa: aí entendi tudo
                eu: ah sim...
                era isso mesmo
01:55     Brisa: que meu bem pra vc eh assim, como vc acabou de falar
                eu: é isso mesmo, é vc
01:56     Brisa: então
                um tempinho antes
01:57     (alguns meses antes) ainda com cuidado pra não banalizar nada, pois tudo eh muito especial entre nós, eu te disse: vc eh meu bem bom
                queria te dizer isso também
01:58     na falta de habilidade para te decifrar (naquele momento) eu achei que não tinha feito sentido pra vc
01:59     melhor então seria evitar o “meu bem”
                depois
                com um pouquinho mais de presença sua
                o “meu bem” rolou por gravidade
                maciinho
                eu: rs
                Brisa: como se estivesse sempre ali
                (...)




video


120... 150... 200 Km por hora (Roberto Carlos), em Elas cantam Roberto Carlos

You Might Also Like

0 comentários

Subscribe